Arritmia

O que mudou no manejo da Fibrilação Atrial? Atualização 2010

– Em recente artigo de atualização publicado em 20 de dezembro de 2010 pelo   American College of Cardiology Foundation/American Heart Association Task Force on Atrial Fibrillation, novas recomendações para o manejo desta entidade foram divulgadas.

CONTROLE DE FREQUÊNCIA:

– Parâmetros de frequência  e métodos de avaliação ainda  são controversos ;

– No holtter de 24 horas a variabilidade de frequência Cardíaca  é um parâmetro do status autonômico do paciente e fornece informações  prognósticas importantes;

– Após dados do Estudo AFFIRM as metas recomendadas no último guideline para  controle de FC eram aproximadamente  60 a 80 bpm em repouso e  90- 115 bpm durante esforço moderado;

A nova recomendação, oriunda de dados do RATE II, é que o controle de FC rigoroso ( FC <80bpm em repouso ou <110bpm após teste de caminhada de 6 min) não adiciona benefício ao controle mais tolerante ( FC<110bpm) em portadores de FA com função de VE estável (FEVE: >0,4) e sem sintomas ou  naqueles com sintomas  toleráveis . Manter controle Rigoroso  tornou-se Classe III.

COMBINAÇÃO ENTRE  ANTICOAGULANTES E ANTI-PLAQUETÁRIOS:

– Anticoagulação com Warfarina é definitivamente mais efetiva em prevenir eventos cardioembólicos do que AAS isoladamente ou AAS + Clopidogrel;

– O tratamento com AAS + clopidogrel comparado com Warfarina adequadamente ajustada apresentam o mesmo risco de sangramento ( ACTIVE –W Trial);

– A anticoagulação associado com dupla antiagregação é recomendada naqueles pacientes com 2 fatores : FA,  Stent farmacológico ou em portadores de prótese valvar mecânica;

Recomendação: AAS + Clopidogrel reduz a incidência de eventos vasculares maiores ( i.e AVC) naqueles pacientes  não candidatos a anticoagulação ( preferência do pcte ou do médico ) e que não conseguem manter faixa de anticoagulação  segura ou aceitável. Classe IIb – NE B – NOVA OPÇÃO DE TRATAMENTO

NOVOS AGENTES ANTITROMBÓTICOS:

– Recomendações a respeito da Dabigratana ( inibidor direto  da trombina) não foram inclusas neste suplemento por ainda não ser liberada pelo FDA

DISPOSITIVOS NÃO FARMACOLÓGICOS DE PREVENÇÃO DE TROMBOEMBOLISMO:

– Watchman Device para Fechamento de apêndice atrial ainda não foi liberado pelo FDA

RECOMENDAÇÕES PARA O USO DE DRONEDARONA PARA PREVENÇÃO DE FA RECORRENTE.

– A Dronedarona é semelhante a molécula da Amiodarona porém com menor conteúdo de IODO e com melhor perfil de efeitos colaterais.

– É menos Efetiva do que a amiodarona (DIONYSOS study);

–  Principais Efeitos colaterais da Dronedarona  são a bradicardia e prolongamento do Qt;

– Não interfere com a Warfarina;
Recomendações:

–  O uso da Dronaderona é razoável para reduzir a necessidade de hospitalizações por eventos cardiovascular em paciente com FA paroxística  ou após conversão para FA persistente. IIa NE B;

– Não deve ser utilizadas em IC CF IV ou pacientes com história de IC descompensada nas úlitmas 4 semanas, especialmente naqueles com FEVE<= 35%. Classe III NE B

MANUTENÇÃO DO RITMO SINUSAL

– Nesta atualização enfoque maior foi dado ao controle do ritmo com Ablação com rádio frequência sendo reclassificado para Classe I a ablação em centros experientes, de pacientes  com sintomas significantes , FA paroxistica refratários a tratamento medicamentoso e que têm atrio normal ou dilatado discretamente e sem Doença pulmonar servera ( de Classe IIa –> I)  podendo ser tambpem  recomendado nos paciente com FA persistente sintomática (IIA NE A)

– Também pode ser recomendada para aqueles com FA paroxística aumento atrial ou com Disfunção ventricular esquerda significantes ( IIb  NE A) – Antes era contra indicado.

REFERÊNCIA:

ACCF/AHA/HRS focused update on management of patients with atrial fibrillation 2011

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

3 comentários

  • Galeguinho gostei de perguntar:
    Para pacientes que não podem usar varfarina devem receber AAS + clopidogrel certo? Mas quanto de AAS (100x 300mg ???), os trabalhos comparando AAS x AAS + clopidogrel usaram qto de AAS em cada grupo??? poderia procurar mas….rsrrsrs

  • Neto, Os trabalhos que avaliaram o clopidogrel + AAS comparando com o marevan foram o ACTIVE – W ( AAS + Clopidogrel X marevan) e o ACTIVE – A ( AAS x AAS + clopidogrel nos não elegíveis a anticoagulação) e a dose utilizada em ambos na associação foi de clopidogrel 75mg + AAS ( 75 – 100mg).
    # Quanto a anticoagulação associada a dupla antiagregação a publicação recomenda naqueles paciente com 2 fatores dos quais FA, Protese mecânica, Stent Farmacológico.

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: