Valvopatias

Por que é necessário realizar ecocardigrama transesofágico antes de valvoplastia mitral percutânea?

Dica: sempre que estiver considerando a possibilidade de tratar estenose mitral com a realização de valvoplastia mitral percutânea, solicite ecocardiograma transesofágico antes. Por quê? A estenose mitral é um dos principais fatores de risco para o surgimento de trombos no interior do átrio esquerdo (AE). Qual o local mais frequente de surgimento de trombos no AE? Já vimos isto em outro tópico – no apêndice atrial esquerdo! E o que isto tem a ver com a valvoplastia percutânea? Neste procedimento o catéter entra pelo sistema venoso, atinge o átrio direito e fura o septo interatrial para chegar ao átrio esquerdo. Ou seja, se houver trombos no interior do AE, o catéter pode deslocá-los e causar um evento embólico durante o procedimento. Lembrar da regra básica da medicina – primum non nocere, ou seja, antes de qualquer coisa não cause o mal. 

Abaixo segue exemplo de paciente com estenose mitral importante com trombo volumoso no apêndice atrial esquerdo. Notem a presença de estase sanguínea no interior do AE. Esta pode ser vista como uma "nuvem" no interior do AE e denota presença de baixo fluxo sanguíneo no AE. Como sabemos, baixo fluxo predispõe à formação de trombos.

Resumo:

– local mais comum de formação de trombos no AE – apêndice atrial esquerdo

– planejou fazer valvoplastia mitral percutânea = solicitar ete para descartar trombos no AE

– trombo em AE = contraindicação à realização de valvoplastia mitral percutânea

– descrição de estase ou fluxo lento de sangue no AE no laudo do ecocardiograma – saber que este pcte tem risco aumentado de ter trombos no AE

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Lapa

Eduardo Lapa

Editor-chefe do site Cardiopapers
Especialista em Cardiologia e Ecocardiografia pela SBC

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: