Prevenção

Tabagismo – Abordagem inicial.

Os cardiologista são acostumados a tratar Hipertensão arterial, doenças coronárias, miocárdiopatias e outros temas relacionados,  mas muitas vezes não recebemos treinamento e negligenciamos a abodagem ao tabagismo.

Importância:

  • 1/3 da população mundial fuma ( 1,3 bilhões de pessoas);
  • A cada dia 100 mil pessoas tornam-se fumantes;
  • Estimativas indicam que 18,8% da população brasileira é fumante;
  • O tabagismo é responsável por 5milhões de mortes por ano;
  • No brasil, 23 pessoas morrem por hora decorrente ao tabagismo
  • 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos);
  • 85% das mortes são causadas por bronquite e enfisema;
  • 45% das mortes causadas por doença coronariana na faixa etária abaixo dos 60 anos;
  • 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos;
  • 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero);
  • 25% das mortes causadas por doença coronariana – angina e infarto do miocárdio;
  • 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral)
  • Um em cada 2 fumantes de longa duração morrerão prematuramente devido ao tabagismo.

Abordagem:

 O tabagismo está relacionado aos efeitos deletérios da nicotina ao sistema nervoso central.  O instrumento mais utilizado para avaliação do grau de  dependência à nicotina é o escore de Fagerström ( 6 perguntas ao paciente).

Escore de Fargerström:

Assinale a opções mais adequadas a você.

Quanto tempo depois de acordar você  fuma o primeiro cigarro do dia?

( ) Nos primeiros 5 minutos                        

3

( ) De 6 a 30 minutos                                    

2

( ) De 31 a 60 minutos                                  

1

( ) Mais de 60 minutos                                  

0

Você fica incomodado por não poder fumar em determinados locais, como ambiente de trabalho, restaurantes, aviões, hospitais, igreja, cinema etc.?

( ) Sim                                                         

1

( ) Não                                                            

0

De qual cigarro você mais detestaria ter de desistir?

( ) O primeiro da manhã                               

1

( ) Todos os outros                                           

0

Quantos cigarros você fuma por dia?

 

( ) 10 ou menos                                            

0

( ) 11-20                                                       

1

( ) 21-30                                                       

2

( ) 31 ou mais                                               

3

 

 

Você fuma mais durante as primeiras horas depois de acordar do que durante o restante do dia?

( ) Sim                                                          

1

( ) Não     

                                                     

0

Você fuma mesmo quando está  doente a ponto de ficar de cama a maior parte do dia?

 

 

( ) Sim                                                          

1

( ) Não                                                          

0

 

 

E SCALA DE DEPENDÊNCIA

0-2 muito baixa

3-4 baixa

5 média

6-7 elevada

TOTA L:

Outra entidade que deve ser reconhecidas  pelos profissionais de saúde é a sindrome de abstinência à nicotina que é  uma importate causa de falha no abandono do tabagismo.

Sindrome de Abstinência à Nicotina ( CID F17.2):

Síndrome de abstinência (4 ou mais) dos seguintes:

• Humor disfórico ou depressivo ( aparecimento em até 4 semanas)

• Insônia ( aparecimento em até 4 semanas)

• Irritabilidade, frustração, raiva ( aparecimento em até 4 semanas)

• Ansiedade ( pode aumentar ou diminuir)

• Dificuldade de concentração ( aparecimento em até 4 semanas)

• Inquietação ou impaciência ( aparecimento em até 4 semanas)

• Diminuição do ritmo cardíaco

• Aumento de apetite ou ganho de peso ( geralmente  após 10 semanas)

 

A abordagem inicial ao tabagismo deve iniciar com o diagnóstico do tabagismo. Na consulta o profissional deve perguntar se o paciente fuma. Caso o paciente seja um tabagista, deve-se iniciar estratégias terapêuticas que incluem abordagem  cognitivas comportamentais  e medicamentosas ( atuam na dependência da nicotina).

Intervenções Cognitivos Comportamentais:

  • Abordagem Mínima: Conversa breve com objetivo de avaliar o desejo do paciente em parar de fumar e estimular a cessação do tabagismo.

(mais fácil e prática, porém menos efetiva)

  • Abordagem intensiva  ( PAAPA):  (individualizada e mais eficaz, porém menos prática e mais demorada)
    • Perguntar: Você fuma? Há quanto tempo?
    • Avaliar: Quantos cigarros por dia ? Já parou de fumar? Teve sintomas de abstinência? Qual motivo da recaída? Tem vontade de parar de fumar nos próximos 30 dias?
    • Aconselhar: Enfatizar o quanto é importante e benéfico  parar de fumar. Motivar sempre.
    • Preparar:  Questionar se o paciente pode marcar uma data próxima para parar de fumar. Prescrever suporte farmacológico caso seja necessário.
    • Acompanhar: O acompanhamento deve ser contínuo durante 1 ano. O intervalo entre as consultas deve ser semanalno primeiro mês seguida de quinzenal, mensal, e trimestral.

 

Nos próximos artigos discutiremos abordagem farmacológica e suas indicações.

REFERÊNCIAS:

  1. Issa, Jaqueline Scholz. Tabagismo e Doenças Cardiovasculares, 1 ed, São Paulo – 2007
  2. ASH Fact Sheet on Smoking Statistics: Illness and death. (http://www.ash.org.uk/information/facts-and-stats/fact-sheets )

Publicidade

Deixe um comentário

Sobre o autor

Andre Lima

Andre Lima

Editor do site --
Especialista em Cardiologia pela SBC e InCor/ USP --
Especialista em Ecocardiografia pela SBC e InCor/USP --
Especialista em Terapia Intensiva pela AMIB --

1 comentário

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site
%d blogueiros gostam disto: