Miscelânia

Como tratar TVP em pacientes obesos? Novas evidências sobre o assunto.

Eduardo Sansolo
Escrito por Eduardo Sansolo

Esta publicação também está disponível em: Português Español

Anticoagulantes orais não-antagonistas da vitamina K (NOACs), incluindo o rivaroxaban, são recomendados como a primeira linha de tratamento no manejo de pacientes com tromboembolismo venoso agudo (TVP).

Indivíduos obesos possuem um risco aumentado de apresentarem TVP, uma vez que a obesidade, por si só, é um fator de risco para esta doença. Além disso, o aumento da massa corpórea também pode impactar nas características farmacocinéticas de determinadas drogas. Entretanto, grandes ensaios clínicos randomizados conduzidos exclusivamente em obesos são raramente conduzidos, o que diminui a compreensão do tratamento destes indivíduos.

Baseado nessa premissa, os investigadores  revisaram prontuários no período de 1 de novembro de 2012 a 30 de setembro de 2018, separando 6755 pacientes que fizeram uso de rivaroxaban e 6755 que utilizaram warfarina. Foram incluídos pacientes com Índice de Massa Corpórea (IMC) ≥ 30 kg/m2 que deram entrada no hospital e foram diagnosticados com TVP recebendo rivaroxaban or varfarina como primeiro anticoagulante oral até 7 dias de início do quadro. O resultado deste estudo foi publicado no Journal of Thrombosis and Thrombolysis.

Os pacientes foram pareados 1:1 recebendo rivaroxaban e warfarina (diferença padrão < 0.1 para todas covariáveis). Foram avaliadas recidiva de quadros de  TVP e complicações hemorrágicas significativas em 3, 6 e 12 meses. A subanálise estratificada pelo IMC (30-34.9, 35-39.9, and ≥ 40 kg/m2) também foi realizada e o risco foi comparado utilizando a regressão de Cox.

Os investigadores observaram que o rivaroxaban foi associado à redução no risco de recidiva de TVP comparada com a varfarina em 3, 6 e 12 meses (HR 0.61, IC 95% 0.51-0.72; HR 0.65 IC 95% 0.55-0.77; HR 0.63 IC 95% 0.54-0.74, respectivamente). Além disso, não houve diferença em risco de sangramento em todos os períodos, seja hemorragia intra ou extracraniana. Subanálise por idade, sexo, comorbidades ou faixa de obesidade também não influenciou os resultados.

Os investigadores concluíram que, neste estudo incluindo mais de 13000 pacientes obesos com quadro agudo de TVP, a prescrição de rivaroxaban foi associada com uma redução significativa de 39%, 35% e 37% no risco de recidiva de TVP em 3, 6 e 12 meses, respectivamente. Além disto, não houve impacto no risco de hemorragia intra ou extracraniana quando comparado à varfarina.

Nota do editor (Eduardo Lapa): temos que destacar que se trata de estudo observacional e restrospectivo. Assim sendo, suas conclusões precisam ser avaliadas sabendo-se das limitações que tal desenho de estudo tem. O estudo observacional geralmente levanta a hipótese, a qual deve ser idealmente confirmada por um ensaio clínico posterior.

Referências bibliográficas:

Costa O.S, Beyer-Westendorf J., Ashton V., Milentijevic D., Moore K.T., Bunz T.J., Coleman C.I. (2020) Effectiveness and safety of rivaroxaban versus warfarin in obese patients with acute venous thromboembolism: analysis of eletronic health record data. J Thrombosis and Thrombolysis (https://doi.org/10.1007/s11239-020-02199-0).

Curso Cardiopapers

Banner Atheneu

Deixe um comentário

Sobre o autor

Eduardo Sansolo

Eduardo Sansolo

Deixe uma resposta

Seja parceiro do Cardiopapers. Conheça os pacotes de anuncios e divulgações em nosso MídiaKit.

Anunciar no site

%d blogueiros gostam disto: